Instalação de pisos táteis pode garantir mais dignidade aos deficientes visuais



Durante a sessão legislativa de hoje (10), o vereador Edilson Ferreira levou para votação o projeto de indicação nº 227/2011solicitando do Poder Executivo Municipal a instalação de pisos táteis em áreas públicas de circulação de pedestres e em dependências dos órgãos públicos de Lauro de Freitas.

O vereador aponta que a instalação de sinalização tátil nos órgãos públicos municipais garante mais respeito e dignidade ao cidadão com deficiência visual, pois este material foi desenvolvido exclusivamente para orientar e direcionar o deficiente visual nos espaços físicos. “Trata-se daquele material utilizado mais comumente em agências bancárias e Shopping Centers” afirmou.

O material permite efetiva acessibilidade, e funciona a partir de uma composição de peças, que permitem ao usuário mais segurança e autonomia de seus movimentos. A palavra Podotátil significa sensação através dos pés “Podo= pé Tátil= tato (sentido)”. Este tipo de piso teve inicio no Japão em 1960 iniciando sua aplicação nas plataformas de trens e metrôs, a fim de indicar o limite de chegada à beira da plataforma. No Brasil, apesar de o material já existe há algum tempo, ele só foi regulamento em 2004 pela ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas, através da norma técnica NBR 9050 que determina duas tipologias dos pisos táteis. Piso Direcional conhecido como Guia com a função de orientar a pessoa através de uma trilha e Piso Alerta com função de alertar a pessoa de um perigo ou obstáculo à frente.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo, 180 milhões de pessoas têm algum grau de deficiência visual. Desse total, entre 40 milhões e 45 milhões de pessoas são cegas e 135 milhões apresentam algum tipo de baixa visão.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Censo 2000 contabilizou 148 mil cegos no Brasil, 57 mil apenas no Nordeste. A Bahia, com 15,4 mil pessoas, é o segundo estado brasileiro com maior número de deficientes visuais. Perde apenas para São Paulo, onde vivem 23,9 mil cegos. O detalhe é que mais de 16 milhões de pessoas declararam ter algum tipo de dificuldade de enxergar. Desse, estima-se que 2 milhões têm baixa visão.

O projeto foi bem recebido e aprovado pelos demais vereadores, e segue para análises do Poder Executivo. Sem nenhuma dúvida a instalação deste material promove inclusão social e garante o direito de ir e vir do cidadão com deficiência visual.

NOTÍCIAS NO E-MAIL

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Mais lidas

Instagram