Barracas voltam a funcionar em Ipitanga


O vereador Edilson Ferreira esteve presente na inauguração da Passarela do Caranguejo, realizada neste sábado (27), em Lauro de Freitas ao lado da prefeita Moema Gramacho, vice-prefeito João Oliveira, Carlos Fritsch presidente da Associação de Barraqueiros da Praia de Ipitanga, Alan Ramos, supervisor de contratos e projetos da Coca-Cola, dentre diversas autoridades políticas. A Passarela do Caranguejo é resultado da parceria da Associação de Barraqueiros da Praia de Ipitanga e a Coca-Cola, com apoio da Prefeitura de Lauro de Freitas. Segundo Alan Ramos, a mobilização dos barraqueiros e diálogo com a prefeita foram decisivos para esta parceria.

"A Coca-Cola se preocupa com as questões sociais e quando vimos as demolições resolvemos ajudar de alguma maneira", explica Ramos. De acordo com o supervisor da empresa, enquanto em Salvador os barraqueiros foram "chutados", em Lauro de Freitas, houve "projeto, um diálogo, um esforço em criar uma alternativa para as famílias", frisa Ramos, ao revelar que a Coca-Cola pode patrocinar também o projeto de revitalização da orla de Ipitanga.

Toda a polemica sobre as derrubadas das barracas da Orla de Ipitanga aconteceu a quatro meses atrás. Segundo informações, antes da derrubada eram 1.500 pessoas que trabalhavam em Ipitanga, agora com a inauguração da Passarela do Caranguejo apenas 200 pessoas tiveram seus empregos de volta. Os estabelecimentos foram instalados em uma área fora da areia de frente para a praia. O espaço com três mil metros quadrados que antes funcionava como um estacionamento recebeu 22 boxes com cinco metros quadrados cada, banheiros – adultos e criança – duchas e toda a infraestrutura necessária. Montada pelos próprios barraqueiros, por meio da Associação das Barracas de Ipitanga, em parceria com uma grande empresa de refrigerantes.

O presidente da Associação, Carlos Fritsch, disse que este é um grande momento para os barraqueiros. “Queremos voltar ao trabalho, resgatar nossos clientes para gerar renda e emprego”.  Carlos ressaltou que o local vai contar com segurança e uma infraestrutura para assegurar o conforto e mais qualidade no atendimento. As barracas foram demolidas por agentes da Prefeitura de Salvador, sob ordens da Justiça Federal e Advocacia Geral da União. Na época foram demolidas 33 barracas.

Com informações de Imprensa Lauro e Blog de Lauro
Algumas fotos:

NOTÍCIAS NO E-MAIL

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Mais lidas

Instagram