Iniciadas as obras do esgotamento sanitário de Lauro de Freitas


As obras de esgotamento sanitário de Lauro de Freitas tiveram início na última quinta-feira, na localidade de Jardim Centenário, em Itinga. Na sexta-feira à noite foi realizada a primeira audiência pública para esclarecer a população sobre o sistema que está sendo implantado e pedir paciência com os inevitáveis transtornos. Participaram representantes da Embasa, da CRCSL (empresa executora da obra) e do poder público municipal. Reunidos na Casa Paroquial de Itinga, moradores ouviram a explicação dos técnicos e tiraram dúvidas.

Orçados em R$170 milhões, os trabalhos de construção da rede de esgotamento sanitário serão concluídos em 30 meses. Ao final do projeto, a rede terá suporte para atender 308.877 mil habitantes, população estimada para o município no ano de 2030. O fiscal de engenharia da Embasa, Marcelo Madureira, fez questão de reforçar que será necessária muita paciência por parte da população.“A obra traz transtornos, mas acima de tudo benefícios”.

Segundo o engenheiro, a Organização Mundial de Saúde (OMS) prevê que para cada R$1 gasto com saneamento há uma economia de outros R$5 na saúde. As palavras foram endossadas pelo secretário de governo, Aliomar Brito. “Essa é uma obra de grande magnitude, a maior intervenção que essa cidade já viu. Precisaremos de tolerância, afinal ela trará benefícios para nós, nossos filhos e netos. Juntos vamos conseguir!”, afirmou Brito. Hoje o município tem apenas 9% dos imóveis ligados a uma rede de esgotamento sanitário. Em 2013, quando for acentada a última tubulação conectando o sistema com o emissário submarino de Jaguaribe, em Salvador, serão 100%.

O engenheiro apresentou à comunidade os números relacionados ao projeto. A obra prevê 40.800 ligações de esgoto na rede urbana. Serão construídos 235.117 km de redes coletoras, 27 estações elevatórias, 315 metros de túneis em cinco travessias na Estrada do Coco e uma na Avenida Praia de Itapuã, em Vilas do Atlântico. A principal finalidade do novo sistema é permitir o tratamento e a disposição final, de maneira rápida e segura, dos esgotos gerados pela população de Lauro de Freitas.

O trabalho da equipe social da Embasa está sendo feito casa a casa do Jardim Centenário. Esse mesmo trabalho de informação e conscientização será realizado em todo o município à medida que a obra avança. Além do contato pessoal, moradores vão poder contar com um número de telefone gratuito para esclarecimentos. Enquanto o telefone não é disponibilizado, o contato pode ser feito através do 3369-0290.

Durante a reunião, representantes da Embasa informaram à população que as ligações domiciliares à rede só poderão ser realizadas ao final da obra. Caso algum morador ligue a rede antes do término da intervenção, será multado. Para a implantação, a Embasa dividiu o município em “bacias”. Cada bacia terá elevatórios onde os dejetos serão coletados, seguindo depois para uma elevatória central, na entrada da cidade, e daí para o emissário submarino. Outras audiências pública serão realizadas em cada comunidade, durante todo o período de execução da obra. Em julho está programada uma audiência pública para moradores de todas as bacias.

A cidade é cortada por cinco rios (Joanes, Sapato, Ipitanga, Goró, Itinga e Metrópole), além de mais de 60 córregos, Lauro de Freitas tem 8,5 Km de orla marítima e um histórico de degradação e descaso.

Um projeto para salvar os rios começa pelo Sapato - Escolhido pela sua pequena dimensão de 5,5 Km, o Rio Sapato será atendido com projeto que servirá como piloto para o saneamento dos demais. O SOS Rio Sapato consiste na implantação de dez pontos de monitoramento - identificando e cadastrando fontes poluidoras, levantando áreas críticas necessárias para a recomposição da Mata Ciliar e o levantamento dos pontos de assoreamento no leito do rio. A perspectiva é reduzir em um terço a incidência de carga orgânica no período de um ano. “O projeto representa um investimento em torno de R$120 mil, baixo em relação aos benéficos que trará”. A despoluição dos rios trará melhoria também às praias, além da redução de doenças e promoção de qualidade de vida.

NOTÍCIAS NO E-MAIL

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Mais lidas

Instagram