ONU traça estratégia para combater a violência em Itinga


Representantes de quatro agências da ONU se reuniram com líderes comunitários, sociedade civil organizada, representantes das polícias, do Ministério da Justiça e da Prefeitura de Lauro de Freitas para debater as ações sócio-educativas que serão implementadas em Itinga. O encontro aconteceu na tarde desta quarta-feira (16), na sala de reuniões do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM). Hoje e amanhã (quinta e sexta-feira) a equipe da ONU está em campo realizando entrevistas com lideranças e moradores de Itinga, para concluir a etapa de diagnóstico.
A iniciativa faz parte de projeto Segurança Cidadã: prevenindo a violência e fortalecendo a cidadania com foco em crianças, adolescentes e jovens em condições vulneráveis em comunidades brasileiras. O projeto prevê um investimento de 6 milhões de dólares, doados pelo governo espanhol, que contempla, além de Lauro de Freitas, as cidades de Vitória (ES) e Contagem (MG).
As seis agências da ONU envolvidas no projeto (PNUD, OIT, UNDOC, UNICEF, UNESCO, UN-HABITAT) atuarão com diversas estratégias complementares, sempre com foco nos jovens vulneráveis à violência. A gerente do PNUD, Érica Machado, salientou que a verba será aplicada até 2012 e não poderá ser utilizada em obras. “Nosso foco é desenvolver capacidades”. E completou: “A gente criou o comitê porque não temos fórmula mágica para resolver o problema de segurança, que é uma questão de todo mundo e não da polícia exclusivamente. E quem conhece Itinga são vocês. Vamos juntos construir o plano de segurança para Itinga”.
O repasse dos recursos será feito diretamente às entidades – ONGs e associações. A ONU vai lançar editais para selecionar os projetos que serão implementados. “O primeiro edital será divulgado nos próximos 30 dias para ações de combate e prevenção às drogas”, informa o representante da UNODC, Gilberto Duarte.
Entre as ações, foi apresentado o Curso de Segurança Cidadã, que terá 40 horas e será oferecido para 40 pessoas. Deverão participar representantes de secretarias municipais, dos conselhos de segurança, do próprio comitê do projeto, de ONGs, além de liderança e pesquisadores. O requisito é ter disponibilidade, já que é necessário se dedicar uma semana inteira, e poder replicar o conhecimento. O curso será realizado de 25 a 29 de abril. Pelo mundo, cerca de 1500 pessoas já foram formadas. A estratégia é “prevenir a violência com cidadania”.
Outra estratégia a ser implantada em Itinga é o Mérito Juvenil, tecnologia social inglesa, criada em1956 pelo Duque de Edimburgo e que é aplicada em 132 países. A estratégia é estimular o jovem de 14 a 24 anos a desenvolver suas habilidades através de diversas atividades com foco na auto-estima. Hoje o Mérito Juvenil conta com 200 mil líderes no mundo, que prestam cerca de 30 milhões de horas voluntárias por ano.
O presidente da Associação de Moradores do Parque Santa Rita, Wellington de Souza Santos, está esperançoso. “Os moradores de Itinga precisam destas ações. É um povo muito sofrido, que precisa desenvolver seu amor próprio. Com auto-estima elevada a gente realiza tudo”. O coordenador do GGIM, José Arruti, considerou muito produtiva a reunião que contou com participação ativa dos representantes locais. “Foi muito boa, atendeu às expectativas. A partir de agora, haverá mais mobilização”. Durante a execução das ações, as reuniões do comitê local do projeto serão realizadas mensalmente. Integram a comitiva da ONU ainda o sociólogo mexicano Hector Castilho, do UN-HABITAT, Karina Esposato, Rita de Cássia Lima e Ricardo de Lacerda, do PNUD.

NOTÍCIAS NO E-MAIL

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Mais lidas

Instagram